terça-feira, 19 de julho de 2016

Vida

Nada carpa, nada-nada
Nada contra a corrente,
Enquanto sobes a cascata
Em direcção à nascente.

Voa gaivota, voa-voa
Voa por cima da ponte,
E leva o barco pela popa
De volta ao horizonte.

Corre cavalo, corre-corre
Corre livre pelo prado,
Lembrai-vos que sois nobre
E não do homem, escravo.

Canta miúdo, canta-canta
Não fiques aí tristonho,
Pois cada lágrima que derramas
É um fragmento d'um sonho.

Sorri velho, sorri-sorri
Não sejas assim tão sério,
Ainda existe vida em ti
Se olhares além do cemitério.

Blackiezato Ravenspawn

Sem comentários:

Enviar um comentário