quinta-feira, 23 de março de 2017

Crises Meteoro-Existenciais

Aveiro está com o período
E acordou tão rabugenta
Diz que está farta de tudo
E que já não aguenta

Ora então, chora indignada
Como depois sorri radiante
Mesmo à Mulher menstruada
Que muda d'humor num instante

Tu sabes qu'Eu gosto de ti
Embora não tenha paciência
Quando Tu fazes esse chinfrim
Vítima da tua incoerência

E apesar de tanto te amar
Hoje, não te vou dar grande atenção
Pois, Eu queria mesmo ir passear
Mas, fartei-me da tua indecisão

Sim, Eu sei que não fazes por mal
É culpa do calor e da humidade
Por isso, minha chata cidade natal
Chora o que quiseres, à vontade

Tu sabes que podes contar comigo
Para aturar as tuas crises metereo-existenciais
Não te preocupes, Eu hoje não ligo
Embora não suporte chantagens emocionais

Blackiezato Ravenspawn

Sem comentários:

Enviar um comentário